domingo, agosto 18, 2019
Home » Artigos » Mini dicionário de termos técnicos de TI

Mini dicionário de termos técnicos de TI

Neste artigo colocamos alguns termos comuns (outros nem tanto) usados em TI. Útil para quem está iniciando os estudos ou buscando enriquecimnento do vocabulário. Boa leitura!

LETRA A

Acceptable use policy – Também conhecido como AUP, são as regras de boa conduta para a utilização correta da rede e seus serviços.  

ActiveX Control – Semelhante a um applet de Java, um ActiveX control não é uma linguagem de programação, mas antes um conjunto de regras sobre a forma como as aplicações podem partilhar a informação. O download e a execução de um ActiveX control podem ser efetuados diretamente por um browser. No entanto, e ao contrário dos applets de Java (que correm em qualquer plataforma), os ActiveX Control só podem correr em Windows.

Ad view ou a visualização de publicidade – é uma das cinco medidas básicas da publicidade online (As outras são visitante, visita, visualização e clique). Visualização de publicidade é um visitante a ver um anúncio. Os anúncios online tendem a estar embebidos em páginas – há provavelmente um no topo desta página. Muitas páginas têm mais do que um anúncio, pelo que um site tem maior número de visualizações de publicidade do que visualizações da página em si. Todas as questões técnicas que se colocam sobre a contagem exata de visualizações são válidas também para as visualizações de publicidade.

Alias – Significa segundo nome, ou apelido. Pode referenciar um endereço eletrônico alternativo de uma pessoa ou grupo de pessoas, ou um segundo nome de uma máquina. É também um dos comandos básicos do UNIX.

AlphaWorld – Uma espécie de canal de chat que funciona com um software e servidor próprios, em que o usuário é representado por um avatar e pode se movimentar num mundo virtual, podendo até construir sua casa e voar. 

ANSI – “American National Standards Institute”, uma organização americana destinada ao estabelecimento de normas. Uma dessas normas é também vulgarmente chamada de ANSI e define a transmissão de caracteres de controlo para um terminal, permitindo: tratamento de cores e outros atributos, movimento do cursor, som, etc. Acrónimo de American National Standards Institute, uma organização afiliada à ISO e que é a principal organização norte americana envolvida na definição de padrões (normas técnicas) básicos como o ASCII.

Anonymous – Anônimo. Normalmente utilizado para o login num servidor FTP, para indicar que se trata de um utilizador não registrado na máquina em questão. A password a fornecer de seguida deve ser o endereço eletrônico.

API (Application Program Interface). Um conjunto de rotinas, protocolos e ferramentas para a construção de aplicações de software. Um bom API simplifica o desenvolvimento de um programa, ao fornecer todos os blocos de construção. – O programador só tem de juntá-los. A maioria dos ambientes operativos, tais como o MS-Windows, fornecem um API, para que os programadores possam escrever aplicações consistentes com o ambiente operativo. Embora os APIs sejam desenhados para os programadores, também são úteis para os utilizadores, uma vez que garantem que todos os programas que utilizem um API comum terão uma interface semelhante. Isto permite aos utilizadores aprenderem novos programas mais facilmente.

Aplicação – Programa que faz uso de serviços de rede tais como transferência de arquivos, login  remoto e correio eletrônico.

Archie – Ferramenta que permite a procura de arquivos e informações em servidores FTP. Indica-se ao archie o nome do arquivo (ou parte dele) que deseja encontrar e ele dá-lhe o nome (endereço) dos servidores onde o pode encontrar. Um serviço de busca de arquivos armazenados em FTP anônimo. Pouco disseminado no Brasil.

ARPA – Advanced Research Projects Agency. A instituição de defesa norte-americana responsável pela investigação avançada e pela criação da ARPANET.

ARPANET – Rede de computadores criada em 69 pelo Departamento de Defesa norte-americano (por intermédio da ARPA), interligando na altura instituições militares. Em meados dos anos 70 várias grandes universidades americanas aderiram à rede, que deu lugar à atual Internet. Advanced Research Projects Agency Network . Rede de longa distância criada em 1969 pela Advanced Research Projects Agency (ARPA, atualmente Defense Advanced Projects Research Agency, ou DARPA) em consórcio com as principais universidades e centros de pesquisa dos EUA, com o objetivo específico de investigar a utilidade da comunicação de dados em alta velocidade para fins militares. É conhecida como a rede-mãe da Internet de hoje e foi colocada fora de operação em 1990, posto que estruturas alternativas de redes já cumpriam seu papel nos EUA.

arrab – palavra utilizada para representar, quando estiver sendo ditado, o caracter “\”. É a barra invertida. 

ASCII – American Standard Code for Information Interchange. – Código numérico usado para representar caracteres da língua inglesa em computadores e dispositivos de armazenamento eletrônico de dados. Define a codificação dos caracteres com códigos de 0 a 127.

ASP (Active Server Pages). Uma especificação para a criação dinâmica de páginas Web com extensão .asp, que contém um código Visual Basic ou JavaScript. Quando um browser pede uma página ASP, o servidor cria uma página com um código HTML e envia a ao browser. Portanto, as páginas ASP são semelhantes aos scripts CGI, mas permitem aos programadores de Visual Basic trabalharem com ferramentas familiares. Assinatura – 1. Um arquivo (tipicamente de três ou quatro linhas), que as pessoas inserem no fim de suas mensagens; 2. Ato de subscrever uma lista de discussão ou newsgroup; 3. Informação que autentica uma mensagem. 

ATM (Asynchronous Transfer Mode) – Protocolo de comunicação de alta velocidade, criado para o tráfego de dados e aplicações multimídia.  

authoring tools (ferramenta para criação) – Software de aplicação capaz de criar conteúdo não limitado, inclusive editores de texto, processadores de palavras, gravação de áudio, vídeo e cinema, processando e aplicando imagens.

auto-estrada da informação – Um ligação ou conjunto de ligações entre computadores, formando uma rede de redes, de preferência com meios de comunicação extremamente rápidos.

Awareness –  Trata-se do reconhecimento da empresa, da marca ou do produto. Normalmente, as empresas estabelecem uma meta para o reconhecimento e depois investem da maneira que julgam melhor para atingir essa meta.

LETRA B

Backbone -Estrutura de nível mais alto em uma rede composta por várias sub-redes. Em português, espinha dorsal.

Back-end – O termo é utilizado em vários contextos. – Nas aplicações cliente/servidor, back-end refere-se à parte do programa relativa ao servidor,  sendo o front-end a parte do programa relativa ao cliente. – Por vezes, o termo utiliza-se em referência a compiladores. Os compiladores são programas que traduzem o código-fonte em código-objeto e dividem-se em duas partes: o back-end e o front-end. O back-end é o responsável pela tradução, enquanto o front-end, verifica a sintaxe e detecta erros no código.

Bandwidth– Largura de Banda. Termo que (na linguagem comum) designa a quantidade de informação passível de ser transmitida pôr unidade de tempo, num determinado meio de comunicação (fio, onda rádio, fibra óptica, etc.). Normalmente medida em bits pôr segundo, kilobits pôr segundo, megabits pôr segundo, kilobytes pôr segundo, megabytes pôr segundo, etc. Em canais analógicos, a largura de banda é medida em hertz e está relacionada com o débito efetivo de informação, mas é comum falar-se sempre em Kbps, Mbps ou outra.

Banner– Banner é a unidade de publicidade na web. Os pioneiros do banner foram a GNN e a HotWired, nos idos de 1994. Hoje, os banners são quase ubíquos, e aparecem em todas as formas, tamanhos e localizações.

Baud rate – Número de mudanças de fase do sinal transmitido por um modem. Muitas vezes confundido com a medida bps (bits por segundo), mas com um significado diferente, se bem que possam ter valores aproximados em modens lentos (nos modens mais rápidos, a cada baud podem corresponder vários bps). Medida de taxa de transmissão elétrica de dados em uma linha de comunicação. Mede o número de sinais elétricos transmitidos pôr unidade de tempo.

BBS – Bulletin Board System. Computador (1 ou vários) que permitem que os utilizadores se liguem a ele através de uma linha telefônica e onde normalmente se trocam mensagens com outros utilizadores, se procuram arquivos e programas ou se participa em conferências (fóruns de discussão) divulgadas pôr várias BBS. Digamos que uma BBS está para a Internet assim como uma cidade está para o Mundo.

Bulletin Board System – é um sistema que tipicamente oferece serviços de correio eletrônico, repositório de arquivos (de programas, dados ou imagens) e outros serviços tais como conversação on-line. Seus assinantes tipicamente tem acesso através de linhas telefônicas (isto é, de voz) utilizadas via computador pessoal e modem.

BITNET – Rede mundial de computadores criada em 1981. 

Bps – Uma medida da taxa de transferência real de dados de uma linha de comunicação. É dada em bits por segundo. Variantes ou derivativos importantes incluem Kbps (= 1000 bps) e Mbps (= 1000 000 bps)

.br Código ISO atribuído para identificação do Brasil. 7

Branding – Branding é o que uma empresa faz com o objetivo de fazer passar uma mensagem que leve os consumidores a sentirem o produto dessa empresa de uma determinada forma. Desde o caráter de sensação
delicada atribuído a listas de lavanderia, a características do produto, é uma tarefa dos marketers levá-lo a assimilar estas idéias. 

Bridge – Um dispositivo que conecta duas ou mais redes de computadores transferindo, seletivamente, dados entre ambas. 

Browser – Um programa que permite visualizar e utilizar uma dada base de dados, distribuída ou não por vários computadores. Termo normalmente aplicado para os programas que permitem navegar no World-Wide-Web. O browser é um cliente para extração de informação em um servidor Web ou gopher. Tipicamente, um browser será um programa em um computador pessoal que acessará, através de uma linha telefônica, um servidor (isto é, um programa que atende a demanda de clientes remotos) contendo informações de interesse amplo. 

BTW – Sigla do inglês “By the Way” (Já agora / Por falar nisso, etc.). Usada em textos de correio eletrônico, artigos de news, etc. 

\

LETRA C

Call to Action ou Apelo à ação. Alguma vez viu um anúncio que lhe implorasse “Ligue já!”? Claro que sim. O apelo à ação refere-se ao texto de um anúncio que implora a quem vê que faça algo específico em resposta a esse anúncio. “Click here” é a variante mais comum de apelo à ação na publicidade online.

CCITT – Acrônimo de Comité Consultatif Internationale de Telegraphie et Telephonie, um órgão da International Telecommunications Union  (ITU) das Nações Unidas que define padrões de telecomunicações. (Em 1993, foi extinto e suas atribuições passaram para o ITU-TSS, Telecommunications Standards Section da ITU.

Cello – Um programa (browser) para navegar no WWW. 

CERN – Centre Européen de Recherche Nucléaire. Centro Europeu de Investigação Nuclear. Um dos centros mais importantes da Internet (e, claro, da investigação física). Nele trabalham centenas (ou mesmo milhares?) de investigadores e a sua “jóia da coroa” é um grande círculo de aceleração de partículas com 27 Km de diâmetro, que fica pôr baixo de Genebra, na Suíça, atualmente o maior acelerador de partículas existente no Mundo. Trata-se do European Laboratory for Particle Physics, possivelmente o mais importante centro para pesquisas avançadas em física nuclear e de partículas, localizado em Genebra, Suíça. O nome CERN relaciona-se ao seu nome anterior, Conseil Europeen pour la Recherche Nucleaire. Para os usuários Internet, o CERN é conhecido como o local onde foi desenvolvido a Web. Ver também: Web

CERT– Computer Emergency Response Team. Organismo criado em 1988 pela Darpa, visando tratar questões de segurança em redes, em particular na Internet.

CGI (Common Gateway Interface)  é uma especificação para transferir informação entre um servidor Web e um programa CGI. Um programa CGI é todo o programa concebido para aceitar e devolver dados que estejam de acordo com as especificações CGI. O programa pode ser escrito em qualquer linguagem de programação, incluindo C, Perl, Java ou Visual Basic. Os programas CGI são a forma mais comum de os servidores interagirem dinamicamente com os utilizadores. Muitas páginas HTML contêm formulários, utilizado, por exemplo, um programa CGI para processarem dados de formulários após estes terem sido enviados pelo utilizador. Uma outra forma cada vez mais comum de proporcionar feedback dinâmico (as ações ocorrem no momento em que são necessárias, e não antecipadamente) aos utilizadores é incluir scripts ou programas que correm no computador do utilizador, em vez de correrem no servidor. Estes programas podem ser applets de Java, scripts de Java ou ActiveX controls.

Todas estas tecnologias são conhecidas enquanto soluções viradas para o cliente (client-side solutions), ao passo que o CGI é uma solução virada para o servidor (server-side solution), uma vez que o processo se realiza no servidor. Um problema que ocorre com o CGI é que, de cada vez que um script CGI é executado, é iniciado um novo processo. Em sites muito ocupados, isto pode tornar o servidor visivelmente mais lento. Uma solução mais eficaz, mas também mais difícil de implementar, é utilizar um API do servidor, tal como o ISAPI ou o NSAPI. Uma outra solução cada vez mais popular é a utilização de servlets de Java.

Chain letter – Uma carta que é recebida por alguém e enviada para várias pessoas e assim sucessivamente até que se torna excessivamente difundida. Normalmente o seu texto incita à difusão da carta por outras pessoas.

Chat –  refere-se a conversa. Na prática, trata-se de software que permite o “diálogo direto” entre pessoas ligadas via internet.

Chave Privada – Elemento do par de chaves assimétricas, destinado a ser conhecido apenas pelo seu titular, mediante o qual se apõe a assinatura digital no documento eletrônico, ou se decifra um documento eletrônico previamente cifrado com a correspondente chave pública.

Chave Pública – Elemento do par de chaves assimétricas destinado a ser divulgado, com o qual se verifica a assinatura digital aposta no documento eletrônico pelo titular do par de chaves assimétricas, ou se cifra um documento eletrônico a transmitir ao titular do mesmo para de chaves.

Cheques eletrônicos – Os sistemas de cheques eletrônicos retiram à conta de cheques do utilizador o dinheiro para pagar serviços e contas telefônicas

Churn  ou agitação refere-se ao que acontece quando um utilizador abandona o serviço, e “serviço” significar quase tudo, desde uma conta de ISP até uma subscrição numa listagem de serviços. A agitação é a principal preocupação de quase todos os e-negócios, para já, porque é muito difícil atrair os utilizadores. No entanto, muitos sites têm tentado desenvolver serviços “viciantes” para nos levar a voltar lá, ou encorajar-nos a dar algumas informações básicas a nosso respeito, por forma a que possam manter-se em contato conosco.

Ciberespaço – Pôr ciberespaço designa-se habitualmente o conjunto das redes de computadores interligadas e de toda a Atividade aí existente. É uma espécie de planeta virtual, onde as pessoas (a sociedade da informação) se relacionam virtualmente, por meios eletrônicos. Termo inventado pôr William Gibson no seu romance euromancer. Conjunto de computadores e serviços que constitui a rede Internet. Termo cunhado em analogia com o espaço sideral explorado pelos astronautas.

Client – Cliente. No contexto Cliente/Servidor, um Cliente é um programa que pede um determinado serviço (pôr exemplo, a transferência de um arquivo) a um Servidor, outro programa ou computador. O Cliente e o Servidor podem estar em duas máquinas diferentes, sendo esta a realidade para a maior parte das aplicações que usam este tipo de interação. É um processo ou programa que requisita serviços a um servidor. Ver também: servidor

Clickthrough  ou clique é o mesmo que CTR (Clickthrough ratio) ou taxa de cliques. Uma das cinco medidas básicas da publicidade online (As outras são visitante, visita, visualização e visualização de publicidade). Clickthrough é a taxa de cliques num banner que levam o consumidor até ao site do anunciante – quer seja para subscrever algo, fazer uma compra ou apenas para saber mais. Normalmente, essa taxa vai de um a três por cento, um cálculo ao qual se chega dividindo o número bruto de cliques pelo número de impressões do anúncio numa dada campanha.

Cluster – O termo utiliza-se em contextos diferentes. -No contexto do perfil do utilizador, refere-se a sectores das bases de dados onde determinado software “arruma” os visitantes que manifestem comportamentos online semelhantes. Esses clusters podem também agrupar os visitantes por outro tipo de afinidades (recolhidas através de cookies, inquéritos, formulários…), como a profissão, os interesses, a idade, a área geográfica, e servem de ferramenta de análise do perfil dos internautas que passam pelo seu site. -No contexto de hardware, a palavra refere-se a um grupo de sectores do disco. O sistema operativo atribui um número único a cada cluster, que fica registrado na FAT (File Allocation Table, ou Tabela de Alocação de Ficheiros) do disco. É através dos clusters que o sistema operativo sabe onde está cada ficheiro. Por vezes, o sistema marca um cluster como estando a ser utilizado, mesmo que não esteja associado a nenhum ficheiro. É o que se chama um lost cluster. Um scan ao disco pode permitir-lhe ver se tem clusters perdidos, e pode apagá-los para libertar espaço em disco. No entanto, assegure-se que esses cluster não contêm realmente dados. 

CMYK (Cian, Magenta, Yellow and Black) – Sistema de quatro cores que, combinadas, podem gerar outras cores. Bastante usado em impressão e trabalhos gráficos e também nas telas dos computadores. conexão- Ligação do seu computador a um computador remoto.

Cookie – Mensagem enviada a um browser por um servidor. O browser armazena a mensagem num ficheiro de texto chamado cookie.txt. A mensagem é depois enviada de novo ao servidor, de cada vez que o browser lhe fizer um pedido de página. O principal objetivo dos cookies é identificar utilizadores e enviar-lhes páginas personalizadas. Os cookies podem registrar apenas informações técnicas, como o tipo de plataforma que estamos a utilizar, o browser e a sua versão, por exemplo. Ou podem guardar informação livremente disponibilizada pelo próprio utilizador. É o que acontece nos sites que fornecem um formulário. Podemos preenchê-lo com o nosso nome e os nossos interesses, por exemplo. Assim, da próxima vez que acedermos a esse mesmo site, podemos ser saudados com uma
mensagem de boas vindas em nosso nome, em vez de uma mensagem genérica.

Correio eletrônico (e-mail) – Correio transmitido pôr meios eletrônicos, normalmente, redes informáticas. Uma carta eletrônica contém texto (como qualquer outra carta) e pode ter, eventualmente, anexo um ou mais arquivos. Um meio de comunicação baseado no envio e recepção de textos, chamados de mensagens, através de uma rede de computadores.

CPC  (Custo-por-clique). Por vezes, em vez de pagarem uma taxa única para que um anúncio passe num site, os anunciantes pagam apenas pelo número de cliques que advêm desse anúncio, ou custo-por-clique. Embora seja popular entre os anunciantes, o pagamento CPC faz franzir o sobrolho à maioria dos sites e ao próprio IAB. É que os banners não servem só para levar as pessoas a clicarem-nos, têm uma utilidade mais alargada. Tal como a publicidade noutros meios, os banners ajudam a aumentar o reconhecimento geral da marca e a familiaridade com o produto. Embora, realmente, só um a dois por cento dos utilizadores cliquem nos banners, uma percentagem muito maior ganha uma familiaridade geral com o produto ou a marca. As compras por CPC ignoram estes outros valores, proporcionando aos anunciantes um belo negócio

Crash – Problema grave com a Internet ou com o computador que está a ser usado (o que acontece com freqüência), que bloqueia o respectivo funcionamento normal.

Cracker -Indivíduo que faz todo o possível e o impossível para entrar num sistema informático alheio, quebrando sistemas de segurança, para assim poder causar danos.

Criptografar – Criptografar um arquivo significa convertê-lo num código secreto, com propósitos de segurança, para que as informações nele contidas não possam ser utilizadas ou lidas até serem decodificadas. 

Crosspost – Fazer o crosspost de… Ato de enviar para um grupo de news um artigo (ou parte) já publicado (ou a publicar na mesma altura) em outro grupo.

CRM  (Customer Relationship Management) Uma disciplina de gestão que utiliza ferramentas, tecnologias e técnicas especializadas para facilitar as operações de front office com o intuito de otimizar o valor do cliente ao longo da sua relação com a empresa. As organizações devem não só fornecer valor suficiente para atrair clientes, mas também satisfazer as expectativas melhor que a concorrência para manterem esses mesmos clientes. Para ter sucesso, uma organização tem que satisfazer a relação cliente-fornecedor durante o ciclo de vida do consumidor para assegurar que os clientes, bem como a organização, recebem o valor esperado.

Cyberspace – Ver ciberespaço

LETRA D

Daemon – Programa que corre (que foi lançado) num computador e está (sempre) pronto a receber instruções/ pedidos de outros programas para a execução de determinada ação.

Data Mining – É a análise de dados para detectar relações ainda não descobertas. Os resultados de um processo de data Mining incluem: associações, correlações, sequências, classificações, clustering e previsões.

Dial-IN – Designação de um tipo de ligação ou de um ato de ligação à Internet, neste caso pelo estabelecimento de uma chamada (telefônica – Dial) para um computador, através de um modem. Método de acesso a uma rede ou computador remoto via rede telefônica, discando o número onde está a rede ou computador.

Dial-UP – Ver Dial-IN

Digital cash – Digital ou electronic cash, também chamado e-cash. Estas expressões referem-se a qualquer um dos vários esquemas que permitem o pagamento de bens ou serviços através da transmissão de um número de um computador a outro. Tal como um número de série de uma nota, os números do e-cash são únicos. Cada um é emitido por um banco e representa uma quantia específica em dinheiro real. Uma das características-chave do dinheiro digital é o fato de ele ser anônimo e reutilizável, tal como o dinheiro real. Quando uma quantia de e-cash é enviada de um comprador para um vendedor não há qualquer forma de obter informação a respeito do comprador. Esta é a diferença-chave entre o e-cash e as transações por cartão de crédito na Internet.

Digital money – Esta é uma expressão geral para os vários esquemas de e-cash e pagamento eletrônico na Internet. Desde o digital ou electronic cash, passando pelos cheques eletrônicos até à carteira eletrônica.

DNS – Sigla de Domain Name Server. Designa o conjunto de regras e/ou programas que constituem um Servidor de Nomes da Internet. Um servidor de nomes faz a tradução de um nome alfanumérico (p. ex. microbyte.com) para um número IP (p. ex. 192.190.100.57). Pôr exemplo, no DNS brasileiro, gerem-se todos os nomes terminados em br. Qualquer outro nome será também traduzida pelo mesmo DNS, mas a partir de informação proveniente de outro NS (isto se essa informação não tiver sido previamente obtida). Além das conversões nome -IP e IP -nome, um DNS pode também conter informações sobre como encaminhar correio eletrônico até que ele chegue à máquina final.  O Domain Name System (DNS) é um serviço e protocolo da família TCP/IP para o armazenamento e consulta a informações sobre recursos da rede. A implementação é distribuída entre diferentes servidores e trata principalmente da conversão de nomes Internet em seus números correspondentes.

Domain – Domínio. Nome à direita do símbolo @ num endereço eletrônico, ou a designação do endereço eletrônico de uma determinada máquina, empresa, instituição ou país. É uma parte da hierarquia de nomes de grupos ou hosts da Internet, que permite identificar as instituições ou conjunto de instituições na rede. domínio (domain name) -Nome que descreve a organização com a qual um endereço na Internet está vinculado.

Direct Response ou Resposta Direta. Na web, refere-se normalmente a um clique (clickthrough) num banner. Vários publicitários irão examinar a eficácia de uma campanha com base no número ou na percentagem de respostas diretas. Uma vez que isto pode conduzir a um negócio duro – negócios baseados no custo-por-clique, que ignoram quase sempre o valor de branding resultante da publicidade na Web -, a avaliação da resposta é geralmente o melhor e mais honesto exame que pode ser feito a um produto, a uma mensagem publicitária ou à colocação de um anúncio.

Diretório – Um diretório, ou apontador, é um sistema de índice da internet que permite pesquisar páginas. No entanto, ao contrário dos motores de busca -que “entram” nas páginas -o diretório limita-se a pesquisar o texto descritivo do site ou da página.

Domínio – Ver domain.

Domínio público – Algo que está no domínio público (software, p. ex.) é algo que se pode copiar, cortar, colar, queimar, distribuir, deitar ao lixo e nomeadamente utilizar sem pagar o que quer que seja! 🙂 Normalmente deve ser dado o devido crédito ao(s) autor(es) desse algo. Programa disponível publicamente, segundo condições estabelecidas pelos autores, sem custo de licenciamento para uso. Em geral, o software é utilizável sem custos para fins estritamente educacionais, e não tem garantia de manutenção ou atualização. Um dos grandes trunfos da Internet é a quantidade praticamente inesgotável de software de domínio público, com excelente qualidade, que circula pela rede.

Download– Fazer o download de um arquivo. Ato de transferir o arquivo de um computador remoto para o seu próprio computador, usando qualquer protocolo de comunicações. O processo de se transferir uma cópia de um arquivo em um computador remoto para outro computador através da rede; o arquivo recebido é gravado em disco no computador local. O computador de onde os dados são copiados é subentendido como “maior” ou “superior” segundo algum critério hierárquico, enquanto o computador para o qual os dados são copiados é subentendido “menor” ou “inferior” na hierarquia. O sentido literal é, portanto “puxar para baixo”.

DPI (dots per inch ou pontos por polegada)- Medida da resolução da imagem de uma impressora ou monitor. 

LETRA E

EDI -Electronic Data Interchange – O Intercâmbio eletrônico de Dados foi criado pelo governo norte-americano no início dos anos 70.

.edu – Sufixo presente em variados endereços na Internet e que designa instituições de ensino/educação (edu=educational) nos EUA. 

Elm – Um programa/leitor de correio eletrônico para ambientes Unix (se bem que também se possam encontrar versões para outros sistemas operativos). À base de menus com escolha de opções por letras e teclas de cursor.

Email – Electronic Mail. Correio eletrônico.

Email address – Endereço (de correio) eletrônico. Ver Endereço eletrônico.

Emoticon – São pequenos conjuntos de caracteres ASCII que pretendem transmitir uma emoção ou estado de espírito. Devem ser visualizados de lado, com a folha a 90 graus… Os mais conhecidos são: 🙂 ou 🙂 🙁 ou 🙁 😉 ou 😉 

Endereço eletrônico – É uma seqüência de caracteres, do tipo “[email protected]” (sem aspas) que identifica univocamente um determinado utilizador dentro da Internet e, em particular, a sua caixa de correio eletrônico.

EPS – Encapsulated Post Script é um formato de arquivo de imagens muito utilizado pelos gráficos (MAC) embora não o seja na internet. 

Ethernet – Uma das arquiteturas possíveis em redes locais. As redes Ethernet usam normalmente cabos de par trançado (podem também usar outros meios, como um cabo coaxiais, ondas rádio, etc.) que interligam vários computadores. Cada um deles acede à rede em concorrência com os outros, existindo depois regras/convenções que permitem designar qual o computador que deve transmitir informação num determinado instante. A informação pode ser transmitida em modo “Broadcast”, ou seja, para todos os outros computadores da rede e não apenas para um só. Um padrão muito usado para a conexão física de redes locais, originalmente desenvolvido pelo Palo Alto Research Center (PARC) da Xerox nos EUA. Descreve protocolo, cabeamento, topologia e mecanismos de transmissão.

Eudora – Um programa/leitor de correio eletrônico muito completo.

Eyeballs – O termo “eyeballs” é uma referência ao número de pessoas que vêem, ou “passam os olhos por” um determinado anúncio. 

LETRA F

FAQ – Sigla de “Frequently Asked Questions”. É um texto que pretende responder, dentro de uma determinada matéria, a Questões Colocadas freqüentemente pelos utilizadores. 

FDDI – Acrônimo de Fiber Distributed Data Interface, um padrão para o uso de cabos de fibras óticas em redes locais (LANs) e metropolitanas (MANs). A FDDI fornece especificações para a velocidade de transmissão de dados (alta, 100 Mbps), em redes em anel, podendo, por exemplo, conectar 1000 estações de trabalho a distâncias de até 200 Km.

Firewall – (Parede de Fogo) Medida de segurança que pode ser implementada para limitar o acesso de terceiros a um determinada rede ligada à Internet. Os mecanismos de implementação são variados, percorrendo variados tipos de controle pôr software ou hardware. Num caso limite, a única coisa que uma firewall poderia deixar passar de um lado (rede local) para o outro (resto da Internet) era o correio eletrônico (podendo mesmo filtrar correio de/para determinado sítio). Um sistema de segurança de rede, cujo principal objetivo é filtrar o acesso a uma rede.

Flame – Resposta intempestiva e geralmente provocadora a um artigo de news ou mail. Um conjunto de flames e contra-flames é chamado uma “flame-war”. Normalmente neste tipo de discussão, é difícil chegar a qualquer conclusão…

Follow-up – Resposta a um artigo de news com outro artigo de news, mantendo o mesmo tema de discussão.

Fórum de discussão – Em inglês, newsgroup. Num fórum de discussão, ou seja, grupo de news, escreve-se publicamente) sobre o tema indicado pelo nome do grupo.

FQDN (Fully Qualified Domain Name) – Nome de domínio completo, tudo aquilo que está à direita do símbolo @ um endereço eletrônico, sem que se omita qualquer parte (inclui geralmente a designação do país, da instituição e de um computador, pelo menos). 

Freeware – Software distribuído em regime gratuito, mas segundo alguns princípios gerais como a impossibilidade de alteração de qualquer parte para posterior distribuição, impossibilidade de venda, etc.

FTP – File Transfer Protocol. Designa o principal protocolo de transferência de arquivos usado na Internet, ou então um programa que usa esse protocolo. Um protocolo padrão da Internet que é usado para transferência de arquivos entre computadores.

FTP anônimo – Serviço que possibilita o acesso a repositórios públicos de arquivos via FTP.

FTP server – Servidor de FTP. Computador que tem arquivos de software acessíveis através de programas que usem o protocolo de transferência de arquivos, FTP.

FYI (For Your Information) – Documento(s) semelhantes aos RFC, contendo informação geral sobre temas relativos aos protocolos TCP/IP ou à Internet.  

LETRA G

Gateway – Computador ou material dedicado que serve para interligar duas ou mais redes que usem protocolos de comunicação internos diferentes, ou, computador que interliga uma rede local à Internet (é portanto o nó de saída para a Internet). 1. Sistema que possibilita o intercâmbio de serviços entre redes com tecnologias completamente distintas, como BITNET e INTERNET; 2. Sistema e convenções de interconexão entre duas redes de mesmo nível e idêntica tecnologia, mas sob administrações distintas. 3 Roteador (terminologia TCP/IP).

GIF – Graphic Interchange Format. Formato para arquivos de imagem, muito utilizado na Internet para apresentação de fotos, logos e ícones.

.gov – Sufixo dos endereços eletrônicos pertencentes às organizações governamentais

LETRA H

Hacker – Habitualmente (e erradamente) confundido com “cracker”, um hacker é, pela última definição dada, um “Problem Solver” – aquele que resolve problemas.

Hierarquia – Hierarquia de diretórios é o conjunto dos diretórios de um determinado sistema de arquivos, que engloba a raiz e todos os subdiretórios. 

Hipermídia  Conteúdo multimídia (imagen, vídeo e áudio) que está presente numa página da internet. Podemos aceder a esse conteúdo fazendo “click” na seu link.

Hipertexto (Hypertext) Texto de uma página que contém ligações (links) para outras páginas. Os links são normalmente apresentados como texto sublinhado e/ou com outra cor. 

LETRA I

Internet Fast Forward –  Um programa que impede que as propagandas sejam carregadas junto com a home-page.

Information super-highway – Ver auto-estrada da informação.

Internauta – Um internauta é um “viajante” na Internet, aquele que navega na Internet. Internetiano.

Internet – A melhor demonstração real do que é uma auto-estrada da informação. A Internet (com I maiúsculo) é uma imensa rede de redes que se estende por todo o planeta e praticamente todos os países. Os meios de ligação dos computadores desta rede são variados, indo desde rádio, linhas telefônicas, ISDN, linhas digitais, satélite, fibras-ópticas, etc. Criada em 1969 pelo Departamento de Defesa dos EUA (DoD) como um projeto pioneiro de constituição de uma rede capaz de sobreviver a ataques nucleares, foi-se expandindo até chegar ao tamanho e importância que hoje tem (várias dezenas de milhões de utilizadores). Indispensável! 1. Com inicial maiúscula, significa a “rede das redes”, originalmente criada nos EUA, que se tornou uma associação mundial de redes interligadas, que utilizam protocolos da família TCP/IP. A Internet provê transferência de arquivos, login remoto, correio eletrônico, news e outros serviços; 2. Com inicial minúscula significa genericamente uma coleção de redes locais e/ou de longa istancia, interligadas por pontes, roteadores e/ou gateways.

internic – Uma organização americana que atribui números IP únicos a quem o pedir e é também o gestor da raiz (topo da hierarquia) do DNS mundial.

IP – Internet Protocol. Um dos protocolos mais importantes do conjunto de protocolos da Internet. Responsável pela identificação das máquinas e redes e encaminhamento correto das mensagens entre elas. Corresponde ao protocolo de nível 3 do modelo OSI. O Internet Protocol é o protocolo responsável pelo roteamento de pacotes entre dois sistemas que utilizam a família de protocolos TCP/IP desenvolvida e usada na Internet. É o mais importante dos protocolos em que a Internet é baseada.

IRC – Internet Relay Chat. É um sistema que permite a interação de vários utilizadores ao mesmo tempo, divididos pôr grupos de discussão. Ao contrário das news essa discussão é feita em direto (diálogo direto textual). Os utilizadores deste sistema podem entrar num grupo já existente ou criar o seu próprio grupo de discussão. Serviço que possibilita a comunicação escrita on-line entre vários usuários pela Internet. É a forma mais próxima do que seria uma “conversa escrita” na rede.

ISDN (Integrated Services Digital Network) – Sistema telefônico digital que, mediante o uso de equipamentos especiais, permite enviar e receber voz e dados simultaneamente através de uma linha telefônica.

ISO (International Standards Organization) – Organização internacional para a definição de normas e padronizações.

ISP – Quer dizer “Internet Service Provider”, o que é usado para referenciar a empresa que nos dá a cesso à internet.

ISDN – Integrated Service Digital Network. Rede Digital Integradora de Serviços (RDIS). É uma evolução das linhas telefônicas Atuais baseada em linhas digitais (e não analógicas) capazes de débitos muito mais elevados (a partir de 64 Kbps) e com melhor qualidade. Uma rede digital que integra serviços de diversas naturezas como voz, dados, imagens, etc. que deve substituir gradualmente a infraestrutura física atual de comunicações, em que cada serviço tende a trafegar por segmentos independentes.

ISO – International Standards Organization. Organização internacional para a definição de normas. A International Organization for Standardization (ISO)‚ uma organização internacional formada por órgãos de diversos países, tais como o ANSI (americano), o BSI (inglês), o AFNOR (francês) e a ABNT (brasileira), e que estabelece padrões industriais de aceitação mundial.

ITU – International Telecomunications Union.  Órgão da ONU responsável pelo estabelecimento de normas e padrões em telecomunicações.

LETRA J

Java – A Java é uma linguagem de programação criada nos primeiros anos da década de 90 pela Sun Microsystems. Essa linguagem foi criada com o propósito de criar aplicações que possam funcionar sob diferentes plataformas de hardware. Outro dos objetivos conseguidos foi também o de poder funcionar a partir de um browser da internet e noutros dispositivos mais pequenos como eletrodomésticos. A java, que tem bastantes semelhanças com a linguagem C++, é compilada num microcódigo independente dos processadores e da arquitetura, sendo depois executada numa máquina virtual do computador que foi adaptada à arquitetura. Existem 2 versões do java: A linguagem propriamente dita que funciona como aplicação stand-alone ou como applet. Neste último caso, pode funcionar num browser. Existe ainda o Java Script que corresponde a um sub-set do Java que pode funcionar como linguagem script dentro da página de HTML. 

LETRA K

Kermit – Um programa/protocolo de comunicações que permite, entre outros, a transferência de arquivos entre duas máquinas. Um programa popular de transferência de arquivos e emulação de terminal. 

LETRA L

LAN– Local Area Network. Rede Local. É uma rede com 2 ou algumas dezenas de computadores que não se estende para alem dos limites físicos de um qualquer edifício. Normalmente utilizada nas empresas para interligação local dos seus computadores.

latência – Tempo que uma unidade de informação leva a percorrer um dado meio de comunicação. Pode-se, por exemplo, dizer que o tempo de latência de um satélite VSAT é de 300 ms, o que significa que um caracter enviado a partir de um ponto leva 300 ms a chegar a outro, passando pelo satélite.

link – No WWW, uma palavra destacada indica a existência de um link, que é uma espécie de apontador para outra fonte de informação. Escolhendo esse link, obtêm-se a página de informação que ele designava que pode, pôr sua vez, ter também vários links.

Linux – Nome derivado do nome do autor do núcleo deste sistema operativo, Linus Torvalds. O Linux é hoje em dia um sistema operativo com todas as características do Unix, com uma implantação invejável e em constante evolução… e é do domínio público. Normalmente é distribuído em diferentes “releases” que mais não são do que um núcleo (recompilável)
acompanhado de programas, utilitários, ferramentas, documentação, etc.

Login – Identificação de um utilizador perante um computador. Fazer o login é o ato de dar a sua identificação de utilizador ao computador. Acesso a um computador via rede para execução de comandos. Para todos os efeitos, o computador local que “loga” em um computador remoto, passa a operar como se fosse um terminal deste último.

Logout – Ato de desconectar a sua ligação a um determinado sistema ou computador. 

Lynx – Um programa (browser) para ver navegar no WWW. O lynx foi pensado para ser usado em terminais texto, portanto só se pode visualizar a informação textual, ficando a restante (imagens, sons, etc.) disponível para gravação no disco do seu computador para mais tarde ver/ouvir.

LETRA M

Mail – carta eletrônica.

Mailing list – Uma lista de assinantes que se correspondem pôr correio eletrônico. Quando um dos assinantes escreve uma carta para um determinado endereço eletrônico (de gestão da lista) todos os outros a recebem, o que permite que se constituam grupos (privados) de discussão através de correio eletrônico.

Mail server – Programa de computador que responde automaticamente (enviando informações, arquivos, etc.) a mensagens de correio eletrônico com determinado conteúdo.

.mil – Sufixo dos endereços eletrônicos pertencentes às organizações militares norte americanas.

Mime – Multipurpose Internet Mail Extensions. Conjunto de regras definidas para permitirem o envio de correio eletrônico (texto) com outros documentos (gráficos, sons, etc.) anexos.

Mirror – Um computador (ou espaço em disco) onde se guarda uma cópia de informação proveniente de outro recurso na Internet. Os utilizadores não precisam de se ligar ao local original e podem obter a informação desejada num dos locais (escolhendo o mais próximo) onde exista uma cópia.

Modem – MOdulador DEModulador. Pequeno aparelho (sob a forma de uma placa interna de expansão – a introduzir no interior do seu computador – ou uma caixa de plástico com luzinhas no painel posterior) que permite ligar um computador à linha telefônica, para assim estar apto a comunicar com outros. Muitos dos modens são também capazes de realizar funções de fax. A sua aplicação mais importante é dada a ligação à Internet (através de um fornecedor de acesso).

Mosaic – O primeiro browser gráfico para o WWW, concebido pela NCSA (EUA). Com ele o WWW tomou um grande impulso pois foi a primeira ferramenta a permitir visualizar a informação do WWW de forma gráfica e atraente. Um programa cliente de fácil utilização projetado para procura de informações disponíveis na Web. Distribuído como freeware, o Mosaic foi criado pelo National Center for Supercomputing Applications (NCSA) dos EUA e tem capacidade multimídia.

Multi-frequência – Várias freqüências. Designação para uma linha telefônica em que a marcação de um número é feita por emissão de várias freqüências (ou seja, tonalidades em vez de impulsos).

LETRA N

Navegar – Na Internet significa passear, procurar informação, sobretudo no WWW. Ato de conectar-se a diferentes computadores da rede distribuídos pelo mundo, usando as facilidades providas pôr ferramentas como browsers Web.

NCSA – National Center for Supercomputing Applications.

Net – N e t é uma abreviatura para designar a Internet.

Netiquette – Conjunto de regras e conselhos para uma boa utilização da rede Internet, de modo a se evitarem erros próprios de novatos quando da interação com outros utilizadores (mais experientes). A netiquete baseia-se muito no simples e elementar bom senso. Um conjunto de regras de etiqueta para o uso socialmente responsável da Internet, ou seja, o modo
como os usuários devem proceder na rede, especialmente na utilização de correio eletrônico

Netscape – Um programa (browser) para o WWW. Sucessor do Mosaic e desenvolvido pela mesma equipa de programadores, o Netscape evolui mais rapidamente e está-se a tornar no browser de WWW mais usado, devido às suas características de rapidez, cache, visualização interna de vários formatos de arquivos, suporte para uma linguagem de descrição de página mais evoluída, etc. 

Network – Rede (neste contexto, uma rede de computadores, claro).

News – Notícias, em português, mas melhor traduzido pôr fóruns ou grupos de discussão. Abreviatura de Usenet News, as news são grupos de discussão, organizados pôr temas, a maior parte deles com distribuição internacional, podendo haver alguns distribuídos num só país ou numa instituição apenas.

Newsgroup – Um grupo temático de news, um fórum ou grupo de discussão. 

NFS – O Network File System é o protocolo de compartilhamento de arquivos remotos desenvolvido pela Sun Microsystems. Faz parte da família de protocolos TCP/IP.

NIC [CI] – Network Informations Center. Um centro de informação e assistência ao usuário da Internet, disponibilizando documentos, como RFCs, FAQs e FYIs, realizando treinamentos, etc.

NIS – Um serviço usado pôr administradores Unix para gerenciar bases de dados distribuídas através de uma rede.

NIS+ – Versão atualizada do NIS. É um sistema distribuído de bases de dados que troca cópias de arquivos de configuração unindo a conveniência da replicação à facilidade de gerência centralizada. Servidores NIS gerenciam as cópias de arquivos de bases de dados, e clientes NIS requerem informação dos servidores ao invés de usar suas cópias locais destes arquivos.

NNRP – Network News Reading Protocol. Protocolo que permite que um programa leitor de news obtenha a informação (artigos, grupos, etc.) a partir de um servidor de news.

NNTP – Network News Transport Protocol. Protocolo para a transferência dos grupos de news da Usenet e mensagens de controlo.

– Qualquer dispositivo, inclusive servidores e estações de trabalho, ligado a uma rede.

O

Off-line – à letra: “fora da linha”. Significa que nenhuma ligação está no momento ativa. Pôr exemplo, a leitura de mail offline implica que se possa ler mail no seu próprio computador sem que ele esteja ligado ao servidor (tendo portanto sido transferidas as cartas para esse computador, previamente). As ligações offline não permitem a navegação interativa na
Internet, pois o computador não pode enviar comandos e receber dados em tempo real. online- Pôr oposição a offline, online significa “estar em linha”, estar ligado em determinado momento à rede ou a um outro computador. Para alguém, na Internet, “estar online”, é necessário que nesse momento essa pessoa esteja a usar a Internet e que tenha, portanto, efetuado o login num determinado computador da rede.

OSI – O Open Systems Interconnection (OSI) é um modelo conceitual de protocolo com sete camadas definido pela ISO, para a compreensão e o projeto de redes de computadores. Trata-se de uma padronização internacional para facilitar a comunicação entre computadores de diferentes fabricantes.

P

Pacote – Dado encapsulado para transmissão na rede. Um conjunto de bits compreendendo informação de controle, ndereço fonte e destino dos nós envolvidos na transmissão.

Password – Palavra-chave usada para identificação do utilizador, em conjunto com o login (não sendo este secreto, como o é – deve ser -a password).

PGP – Pretty Good Privacy. Programa para a codificação mensagens de texto, inventado por Philip Zimmerman. Uma mensagem assim enviada é inquebrável e só o seu destinatário a pode descodificar, dando para isso uma chave que só ele conhece.

Ping – Pequeno utilitário utilizado para ver se uma determinada ligação se encontra ativa e qual o tempo que uma mensagem leva para ir de um ponto ao outro da ligação. O ping envia pacotes (geralmente 64 bytes) para um ponto, que responde enviando um outro pacote equivalente. O ping (Packet Internet Group) é um programa TCP/IP usado para testar o alcance de uma rede, enviando a nós remotos uma requisição e esperando por uma resposta.

POP – 1. Point-of-Presence, em português Ponto-de-Presença (PP); 2. Post Office Protocol. Protocolo usado por clientes de correio eletrônico para manipulação de arquivos de mensagens em servidores de correio eletrônico.port-Porta, em português. A interface de sockets, no Unix faz corresponder aos processos daemon um port, onde esse processo se registou na altura do seu arranque e que permite a um programa cliente saber onde se deve ligar. Por exemplo, o servidor de mail (mail daemon) está sempre à escuta no port 25 (até 1023 os ports são reservados ao sistema). Uma abstração usada pela Internet para distinguir entre conexões simultâneas múltiplas para um único host destino. O termo também é usado para denominar um canal físico de entrada e saída de um dispositivo.

Post – Designa um artigo de news, por vezes. Fazer um post significa escrever e enviar um artigo para um grupo de news.

Postmaster – E-mail do responsável pelo correio eletrônico de uma máquina ou domínio.

PPP– Point to Point Protocol. O PPP situa-se no nível 2 do modelo OSI (chamado “Data Link Layer”). Através do PPP podem-se usar diversos protocolos de comunicação, como TCP/IP, IPX/SPX, NetBEUI, …, numa linha telefônica, para que através da mesma um computador pessoal se possa ligar à Internet (ou outra rede, desde que seja usado o protocolo correto) e usufruir de todos os serviços e aplicações existentes. É uma norma, posterior ao SLIP, mas mais genérica e robusta. Um dos protocolos mais conhecidos para acesso via interface serial. O Point-to-Point Protocol estabelece um método de acesso a Internet em que um computador, ligado a um host Internet via telefone e um modem de alta velocidade, aparece para o host como se fosse uma porta Ethernet no sistema de rede local do host. É considerado o sucessor do SLIP por ser confiável e mais eficiente.

Processo – Programa a correr num determinado instante, portanto presente na memória do computador. Esta terminologia é usada em máquinas Unix, onde se podem ter vários processos a correr ao mesmo tempo.

Protocolo – Um protocolo está para os computadores assim como uma linguagem (língua) esta para os humanos. Dois computadores para poderem transferir informações entre si devem utilizar o mesmo protocolo (ou ter um terceiro que perceba os dois protocolos e faca a tradução). Um conjunto de regras padronizado que especifica o formato, a sincronização, o seqüenciamento e a verificação de erros em comunicação de dados. Uma descrição formal de formatos de mensagem e das regras que dois computadores devem obedecer ao trocar mensagens. O protocolo básico utilizado na Internet é o TCP/IP.

Provedor de Acesso – Instituição que se liga à Internet, via um Ponto-de-Presença ou outro provedor, para obter onectividade IP e repassá-la a outros indivíduos e instituições, em caráter comercial ou não. Provedor de Informação-Instituição cuja finalidade principal é coletar, manter e/ou organizar informações on-line para acesso através da Internet por parte de assinantes da rede. Essas informações podem ser de acesso público incondicional, caracterizando assim um provedor não-comercial ou, no outro extremo, constituir um serviço comercial onde existem tarifas ou assinaturas cobradas pelo provedor.

Provedor de Serviço – Tanto o provedor de acesso quanto o de informação.

Proxy– Procuração, em português. Um servidor (programa) proxy (ou com capacidades de proxy) recebe pedidos de computadores ligados à sua rede e, caso necessário, efetua esses mesmos pedidos (de HTTP, Finger, etc.) ao exterior dessa rede (nomeadamente, ao resto da Internet), usando como identificação o seu próprio número IP e não o número IP do computador que requisitou o serviço. Útil quando não se dispõem de números IP registrados numa rede interna ou por questões de segurança.

Public domain – Domínio Público.

Pulse – Impulso. Uma linha telefônica é por impulsos se não for multifrequencias, isto é, os sinais de digitação são enviados pôr uma série de pequenos impulsos, separados pôr espaços. A digitação (e estabelecimento de chamada) neste tipo de linhas é mais lenta.

R

Readme – Leia-me. arquivo que deve ser lido antes de se iniciar a utilização ou instalação de um determinado programa, sistema, computador, etc. Contém geralmente informações que podem poupar tempo ao utilizador que pretende fazer algo (e esse algo tem um arquivo README acessível).

Reply – Termo utilizado para responder automaticamente ao e-mail.

Router– Computador, software ou material dedicado que serve para interligar duas ou mais redes efetuando automaticamente a redireção correta dos pacotes de informação de uma rede para outra. Dispositivo responsável pelo encaminhamento de pacotes de comunicação em uma rede ou entre redes. Tipicamente, uma instituição, ao se conectar à Internet, deverá adquirir um roteador para conectar sua Rede Local (LAN) ao Ponto-de-Presença mais próximo. Roteadores vivem se falando aos pares, como modens. 

RTFM – Read The Fucking Manual.  Leia o car”#$% do manual. Termo utilizado para indicar a alguém que deve ler o manual, pois provavelmente anda a fazer perguntas que aí estão claramente respondidas. Numa versão mais soft pode significar “Read the Fine Manual”.

S

Server – Servidor. Um computador na Internet que oferece determinados serviços.

Servidor – Computador que oferece serviços. 1. No modelo cliente-servidor, é o programa responsável pelo atendimento a determinado serviço solicitado por um cliente. Serviços como archie, Gopher, WAIS e WWW são providos por servidores; 2. Referindo-se a equipamento, o servidor é um sistema que prove recursos tais como armazenamento de dados, impressão e acesso dial-up para usuários de uma rede de computadores.

Shareware – Software que é distribuído livremente, desde que seja mantido o seu formato original, sem modificações, e seja dado o devido crédito ao seu autor. Normalmente, foi feito para ser testado durante um curto período de tempo (período de teste/avaliação) e, caso seja utilizado, o utilizador tem a obrigação moral de enviar o pagamento ao seu autor (na ordem de algumas -poucas – dezenas de dólares). Quando é feito o registro, é normal receber-se um manual do programa, assim como uma versão melhorada, possibilidade de assistência técnica e informações acerca de novas versões. Programa disponível publicamente para avaliação e uso experimental, mas cujo uso em regime pressupõe que o usuário pagará uma licença ao autor. Note-se que shareware é distinto de freeware, no sentido de que um software em shareware é comercial, embora em termos e preços diferenciados em relação a um produto comercial “ortodoxo”.

Signature – Assinatura. Geralmente é a porção de texto incluída no fim de uma carta eletrônica ou de um artigo de news neste caso, pôr norma, deve ser inferior a 4 linhas, de 80 caracteres no máximo cada, sem TAB’s nem códigos, para além dos caracteres ASCII normais). Pôr vezes chamada “.sig” ou “.signature”, pois são esses os nomes dos arquivos que contêm a
assinatura propriamente dita.

Site – Um “site” da Internet é um dos nós/computadores existentes. Por exemplo, um site FTP é um computador algures que oferece o serviço de FTP (idêntico a FTP server). 1. Uma instituição, onde computadores são instalados e operados; 2. Um nó Internet.

SMILEY – São pequenos conjuntos de caracteres ASCII que pretendem transmitir uma emoção ou estado de espírito. Devem ser visualizados de lado, com a folha a 90 graus… Os mais conhecidos são: 🙂 ou 🙂 🙁 ou 🙁 😉 ou 😉 Uma “carinha” construída com caracteres ASCII para ajudar a contextualizar uma mensagem eletrônica.

SMTP – Simple Mail Transport Protocol. Protocolo utilizado entre os programas que transferem correio eletrônico de um computador para outro.

Sockets – O nome da interface em Unix (originalmente, mas também já existente noutras plataformas) que implementa protocolos de comunicação, entre os quais TCP/IP (ou outros: XNS, UNIX, AppleTalk, etc.). Uma interface é um conjunto de chamadas possíveis a bibliotecas que contêm rotinas implementando determinados objetivos, neste caso, comunicação entre máquinas.

Sysadmin – System Administrator. O responsável pôr um sistema.

Sysop – A pessoa que opera e mantém um BBS. Abreviatura de system operator.

T

Talk – Programa que permite que dois utilizadores (existem versões que permitem mais utilizadores) “dialoguem textualmente” em direto através da Internet.

Talker– Um programa servidor que pode manter vários utilizadores ligados ao mesmo tempo, permitindo-lhes a interação/dialogo textual.

TCP – Transmission Control Protocol. Um dos protocolos Internet do conjunto TCP/IP, que implementa o nível 4 do modelo OSI, através transporte de mensagens com ligação lógica.

TCP/IP – Conjunto de protocolos da Internet, definindo como se processam as comunicações entre os vários computadores. Pode ser implementado em virtualmente qualquer tipo de computador, pois é independente do hardware. Geralmente, para alem dos protocolos TCP e IP (porventura os 2 mais importantes), o nome TCP/IP designa também o conjunto dos restantes protocolos Internet: UDP, ICMP, etc. 

Telnet– Protocolo/programa que permite a ligação de um computador a um outro, funcionando o primeiro como se fosse um terminal remoto do segundo. O computador que “trabalha” é o segundo enquanto que o primeiro apenas visualiza no monitor os resultados e envia os caracteres digitados (comandos) no seu teclado.

Thread – Dentro de um grupo de discussão, existem normalmente vários threads. Um thread representa um assunto especifico ai debatido e é composto por um ou mais artigos. Tim Berners Lee-O homem, na altura investigador do CERN, que definiu/inventou o protocolo HTTP e deu origem ao WWW.

Tone – Por oposição a “pulse”, tonalidade. Numa linha telefônica pôr tonalidade (multi-frequência) a marcação de um número traduz-se no envio de sinais em diferentes freqüências (sons diferentes). A marcação de um número estabelecimento de chamada) neste tipo de linha é mais rápida que numa linha por impulsos.

Trumpet – Trumpet é o nome dado aos programas que implementam e usam o TCP/IP em ambiente Windows. 

U

Unix – Sistema operativo com características de multitarefa preemptiva, criado nos anos 70, nos Bell Labs. Desde aí evoluíram muitas variantes diferentes do sistema operativo.

Upload – Fazer o upload de um arquivo. Ato de transferir o arquivo do seu computador para um computador remoto, usando qualquer protocolo de comunicações.

URL – Uniform Resource Locator.  Localizador Uniformizado de Recursos. Método de especificação de um determinado recurso na Internet, seja ele obtido por FTP, News, Gopher, Mail, HTTP, etc. Pretende uniformizar o maneira de designar a localização de um determinado tipo de informação na Internet.

Usenet – Conjunto dos grupos de discussão, artigos e computadores que os transferem. A Internet inclui a Usenet, mas esta pode ser transportada por computadores fora da Internet.

User – O utilizador dos serviços de um computador, normalmente registrado através de um login e uma password.

UUCP – Unix to Unix CoPy. Um método (antigo, mas ainda usado) para transmitir correio e artigos da Usenet entre computadores. Originalmente feito para fazer a transmissão entre computadores Unix, agora também é possível usá-lo noutro tipo de computadores.

Uudecode – Programa para descodificar um arquivo de texto e transformá-lo no binário correspondente. Juntamente com o uuencode, permite que se transfiram binários (portanto, qualquer software) através de um simples arquivo de texto. 

Uuencode – Programa para codificar um arquivo binário e transformá-lo no um arquivo de texto. Juntamente com o uudecode, permite que se transfiram binários (portanto, qualquer software) através de um simples arquivo de texto.

W

WAIS –  Wide Area Information Service 

WAN – Wide Area Network. Um rede de computadores que se com extensão de várias dezenas de kilômetros até milhares de kilômetros.

Web – Em português, teia. Abreviatura para designar o World-Wide-Web.

Whois – Diretório que contém informações relacionadas com pessoas e endereços eletrônicos na Internet.

Winsock – Implementação da interface de sockets para o Windows. Com uma winsock (programa/livraria para o windows) é possível a utilização dos protocolos SLIP e/ou PPP no Windows (estes são os dois mais vulgares, mas podem ser utilizados outros protocolos), ou seja, é possível falar a mesma “língua” que os outros computadores da Internet.

World-Wide-Web – Conjunto dos servidores que “falam” HTTP e informação aí armazenada em formato HTML. O World-Wide-

Web é uma grande teia de informação multimídia em hipertexto. O hipertexto significa que se pode escolher uma palavra destacada numa determinada página e obter assim uma outra página de informação relativa (semelhante ao Help do Windows). As páginas podem conter texto, imagens, sons, animações, etc. O World-Wide-Web é uma gigantesca base de dados distribuída acessível de uma forma muito atraente e intuitiva.

WWW– Sigla de World-Wide-Web.

WWW server– Um computador que fornece serviços no WWW, que possui informação acessível no WWW.

Gostou deste artigo? Clique no banner acima e ajude o site a crescer!
Comente conosco seu ponto de vista e acompanhe também nossa sessão de artigos. Deixe seu e-mail ao lado para receber as novidades e se você tiver outras dicas de áreas tecnológicas, compartilhe conosco mandando seu artigo

Sobre Diego Duarte

Diego Duarte atua como coordenador de suporte, é apaixonado por TI e arranha um violãozinho nos finais de semana

Gostou do conteúdo? Deixe seu comentário